Zé Ninguém

2/abril/07

“Quem foi que disse que amar é sofrer?bq.jpg
Quem foi que disse que Deus é brasileiro,
Que existe ordem e progresso,
Enquanto a zona continua no congresso?

Quem foi que disse que a justiça tarda mas não falha?
Que se eu não for um bom menino, Deus vai castigar!

Os dias passam lentos
Aos meses seguem os aumentos

Cada dia eu levo um tiro
Que sai pela culatra

Eu não sou ministro, eu não sou magnata
Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes
Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes”

Biquini Cavadão (Zé Ninguém)

Anúncios

Tropicália

28/fevereiro/07

Deixo aqui um clipe da musíca Tropicália, escrita por Caetano Veloso e muito bem interpretado (com um belo rock) por Tantra.

Música: Tropicália


300 Picaretas

14/dezembro/06

“Eles ficaram ofendidos com a afirmaçãomusicapp.png
Que reflete na verdade o sentimento da nação
É lobby, é conchavo, é propina e jeton
Variações do mesmo tema sem sair do tom
Brasília é uma ilha, eu falo porque eu sei
Uma cidade que fabrica sua própria lei
Aonde se vive mais ou menos como na Disneylândia

Se essa palhaçada fosse na Cinelândia
Ia juntar muita gente pra pegar na saída

Pra fazer justiça uma vez na vida
Eu me vali deste discurso panfletário
Mas a minha burrice faz aniversário
Ao permitir que num país como o Brasil
Ainda se obrigue a votar por qualquer trocado
Por um par se sapatos, um saco de farinha
A nossa imensa massa de iletrados

Parabéns, coronéis, vocês venceram outra vez
O congresso continua a serviço de vocês
Papai, quando eu crescer, eu quero ser anão
Pra roubar, renunciar, voltar na próxima eleição

Se eu fosse dizer nomes, a canção era pequena
João Alves, Genebaldo, Humberto Lucena
De exemplo em exemplo aprendemos a lição
Ladrão que ajuda ladrão ainda recebe concessão

Paralamas do Sucesso- Luis Inácio (300 Picaretas)


A culpa é de quem?

13/dezembro/06

“E os senhores de hoje em dia estão proibindo também se o pobre começa a pensar
Parece que incomoda alguém
Crianças crescem nas ruas não confiam em ninguém escondem nossa cultura referência ninguém
O País ta uma merda e a culpa é de quem?
A culpa é de quem?
Manipulam as leis e vêm com um papo furado
Tudo que incomoda a eles, eles dizem está errado quem é omarginal?
Crianças morrem por sua culpa e eu vivo ilegal
Tenho que me esconder por uma coisa natural enquanto eles metem a mão na maior cara de pau
Não vou ficar calado porque está tudo errado
Políticos cruzam os braços e o país está uma merda”

Planet Hemp – A culpa é de quem?

” mas eu queria somente lembrar
que milhões de crianças sem lar são frutos do mal
que floriu num país que jamais repartiu (pátria amada brasil)
esse é o futuro do país, futuro do país
pra poder comer eles te pedem dinheiro na rua
você vira as costas e diz que a culpa não é sua
esse é o futuro do país pisa neles hoje
e amanhã é a sua vida que está por um triz
mas dar uma esmola não é solução
eles precisam de cultura e boa alimentação
porque um povo sem cultura me dá insonia
qualquer dia desses voltaremos a ser colonia
pelas esquinas e praças estão desleixados e até maltrapilhos
filhos bastardos da mesma nação são crianças, porém não são filhos
mas eu queria somente lembrar
que milhões de crianças sem lar são frutos de um mal
que floriu num país que jamais repartiu.”

Planet Hemp – Futuro do país

Não que eu goste tanto de Planet Hemp, mas Marcelo D2 dá uma belas sacadas em suas letras!


Brasil.

13/dezembro/06
"Grande pátria desimportantebr_1b.gif
Em nenhum instante
Eu vou te trair
(Não vou te trair)"

 Cazuza - Brasil

Metal contra as nuvens

7/dezembro/06

Alguns trechos da música Metal contra nuvens. Recomendo a todos que leiam e escutem os quase 10 minutos dessa linda música de Renato Russo. Como muitas musicas dele, é dificil ver um trecho repetido!
“Não sou escravo de ninguém
Ninguém senhor do meu domínio
Sei o que devo defender
E por valor eu tenho

(…)

Quase acreditei na sua promessa
E o que vejo é fome e destruição
Perdi a minha sela e a minha espada
Perdi o meu castelo e minha princesa.

Quase acreditei, quase acreditei

E, por honra, se existir verdade
Existem os tolos e existe o ladrão
E há quem se alimente do que é roubo.

Mas vou guardar o meu tesouro
Caso você esteja mentindo.

(…)

Esta é a terra-de-ninguém
Sei que devo resistir –
Eu quero a espada em minhas mãos.

(…)

Não me entrego sem lutar –
Tenho ainda coração.
Não aprendi a me render:
Que caia o inimigo então.

(…)

Temos muito ainda por fazer.
Não olhe para trás –
Apenas começamos.”

Esse trecho “Mas vou guardar o meu tesouro / Caso você esteja mentindo.” me lembra o ultimo debate da Globo entre Lula e Collor onde Lula pergunta para Collor se eleito iria tirar o dinheiro da poupança e Collor respondeu que não. Não preciso contar o resto! Apesar de novo eu ainda lembro e recentemente estive conversando sobre isso com meu pai!


Perfeição

5/dezembro/06

Vamos celebrar a estupidez humana
A estupidez de todas as nações

O meu país e sua corja de assassinos
Covardes, estupradores e ladrões
Vamos celebrar a estupidez do povo
Nossa polícia e televisão
Vamos celebrar nosso governo
E nosso estado que não é nação

Celebrar a juventude sem escolas
Crianças mortas
Celebrar nossa desunião
Vamos celebrar eros e thanatos
Persephone e hades
Vamos celebrar nossa tristeza
Vamos celebrar nossa vaidade
Vamos comemorar como idiotas
A cada fevereiro e feriado

Todos os mortos nas estradas
Os mortos por falta de hospitais
Vamos celebrar nossa justiça
A ganância e a difamação

Vamos celebrar os preconceitos
O voto dos analfabetos
Comemorar a água podre
E todos os impostos
Queimadas, mentiras e sequestros

Nosso castelo de cartas marcadas
O trabalho escravo
Nosso pequeno universo
Toda a hipocrisia e toda a afetação
Todo roubo e toda a indiferença
Vamos celebrar epidemias:
É a festa da torcida campeã
Vamos celebrar a fome
Não ter a quem ouvir
Não se ter a quem amar
Vamos alimentar o que é maldade
Vamos machucar um coração
Vamos celebrar nossa bandeira
Nosso passado de absurdos gloriosos

Tudo que é gratuito e feio
Tudo o que é normal
Vamos cantar juntos o hino nacional

A lágrima é verdadeira
Vamos celebrar nossa saudade
E comemorar a nossa solidão
Vamos festejar a inveja
A intolerância e a incompreensão
Vamos festejar a violência
E esquecer da nossa gente
Que trabalhou honestamente a vida inteira
E agora não tem mais direito a nada

Vamos celebrar a aberração
De toda a nossa falta de bom senso
Nosso descaso por educação
Vamos celebrar o horror
De tudo isso
Com festa, velório e caixão

Está tudo morto e enterrado agora
Já que também podemos celebrar
A estupidez de quem cantou esta canção
Venha, meu coração esta com pressa
Quando a esperança está dispersa
Só a verdade me liberta
Chega de maldade e ilusão
Venha, o amor tem sempre a porta aberta
E vem chegando a primavera
Nosso futuro recomeça:
Venha que o que vem é perfeição…”

Gênio Renato Russo – Perfeição

Não tenho mais nada a dizer!